Super Dica de Livro – Luiz Braga / Fotografias

Texto: Juliana Engler.

03 de setembro de 2020.


Luiz Braga / Fotografias

Sou super suspeita para falar do fotógrafo Luiz Braga, pois sou apaixonada pelas cores e pela força das imagens desse paraense. A primeira vez que ouvi falar do trabalho dele foi no Festival Internacional de Fotografia de Paraty há uns 13 anos atrás e fiquei completamente deslumbrada com o que vi. A partir de então comecei a buscar livros e exposições para conhecer ainda mais seu trabalho.

Fiquei encantada com as imagens de cores fortes, de composição precisa e iluminação intensa, relevando um pouco da cultura do povo amazônico. Quando estive de férias em Belém, pude ver pela primeira vez duas imagens suas em uma mostra que estava acontecendo no Museu a Casa das 11 Janelas, além de conhecer e fotografar no mercado Ver o Peso, e outros lugares que só conhecia de suas imagens – foi uma experiência única.

Ganhei esse livro no último Natal, ele é de 2014, foi organizado por Eder Chiodetto e reúne mais de 80 imagens simplesmente de tirar o fôlego! Ao folheá-lo me sinto transportada ao norte do nosso país. Segundo Eder, “ao observarmos a sequência de fotografias deste livro, podemos perceber que há nessas imagens atributos estéticos e conceituais que tendem a torná-las únicas. É como se cada fotografia encerrasse em si uma potência tal qual a fizesse parecer um conto, uma crônica completa, com começo, meio e fim. Não há, na maioria das vezes, na obra de Braga, a necessidade de se ter um conjunto robusto de imagens para narrar uma história. Cada uma delas possui vida própria. Cada fotografia, separadamente, emite seu brilho estelar. Somadas, no entanto, formam uma constelação, um todo sólido e coerente”.

Resolvi separar as três imagens que eu mais gostei, para incluir nesse post e apresentar um pouco das fotografias de Luiz Braga. Como vocês podem imaginar foi uma tarefa muito difícil – como assim escolher apenas três???

Em vários exercícios de seleção de imagens com nossos alunos do curso de fotografia aqui no Ateliê Cromo na cidade de Campinas / SP, fazemos essa proposta: “escolhas as três melhores imagens desse ensaio”. Não é uma tarefa fácil, mas é importante conseguir chegar no que se tem de melhor na sua produção.

As imagens escolhidas foram: “Parque – 1990”, pelas cores quentes, a luz nas crianças e a roda gigante em movimento – após escolhida descobri que ela recebeu o prêmio Leopold Godowsky Color Photography Awards, da Boston University em 1991.

Parque – 1990

A segunda imagem escolhida foi “Meninos na venda de açaí – 1988”, também pelas cores quentes, mas principalmente pela força do olhar das crianças e pela confusão visual criada pelo movimento de alguns elementos na cena.

Meninos na venda de açaí – 1988

E a última fotografia escolhida, é literalmente a última imagem do livro. “Menina e carvão – 2013”, uma imagem ligeiramente tremida de uma criança suja de carvão, onde os brancos dos olhos se destacam da imagem com muita intensidade de forma meio hipnótica – inclusive é uma imagem que eu não conhecia.

Menina e carvão

Espero que vocês tenham gostado!

Um abraço e até o próximo post,


Juliana

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Curso de Fotografia 

Campinas - Ateliê Cromo

As irmãs e fotógrafas

Carolina Engler e Juliana Engler fundaram o Ateliê Cromo em 1998, um aconchegante espaço que transpira e inspira criatividade na...

Facebook

Fale com a gente:

Fone: (19) 3234-8148
Whatsapp (19) 99297-9707 
ateliecromo@gmail.com
Rua Álvaro Müller, 151. 
Campinas / SP / Brasil
  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram
Horário de atendimento: segunda a quinta das 13 h às 18 h. Outros horários sob agendamento.