Fotografando a Lua

Texto: Carolina Engler.

17 de junho de 2020.


Nos meus 24 anos dando aula "Como eu faço para fotografar a lua? é umas das perguntas que eu mais ouvi... Sem sombra de dúvidas a lua exerce uma forte atração sobre nós, influenciado nas marés, nos humores e até nos partos... Como podemos ficar alheios a ela e não desejar registrar todo seu magnetismo?


Então vamos aos fatos: antes de mais nada é necessário saber que a lua é uma grande fonte luminosa - mesmo que esteja refletindo a luz do sol - então NÃO faremos uma longa exposição como é de praxe nas situações noturnas. Isso costuma causar bastante estranheza, por isso vou repetir: fotografar a lua exige configuração de câmera equivalente às que usamos fotografando durante o dia.



Nos idos anos 90, ainda na época da fotografia analógica, aprendi com meu amigo fotógrafo e astrônomo Walter Maluf a seguinte receita para fotografar a lua:

Diafragma 5,6 ou 8.

Obturador 1/60 ou 1/125.

ISO 100.


Fazíamos as 4 exposições acima e uma dela ia se aproximar mais do ideal, dependendo da fase da lua, do seu gosto, de como revelássemos o filme... Ainda uso a receita acima como ponto de partida, mas vale dizer que o digital tem um aproveitamento de luz melhor que os filmes.


Outra questão importante é a objetiva para que se tenha uma lua grande, preenchendo o visor. Na foto que posto aqui usei uma 300mm numa câmera de sensor cropado. Considero que é o mínimo para não ter que recorrer ao recorte da imagem.

0 visualização