Mais um episódio da série "Não é tudo mimimi!"

Texto: Carolina Engler.

17/02/2021.


Um dos tópicos que costuma dar ibope tanto aqui no blog como no nosso canal no YouTube é quando o assunto é um@ artista - aliás também é meu assunto preferido de abordar... Mas desta vez vou falar de um coletivo, as Guerrilas Girls. Grupo de artistas anônimas, feministas e ativistas que se propõe a denunciar formas de machismo, racismo e outros maus comportamentos no mundo da arte, da política, do cinema e da cultura segundo definição das próprias.



Guerrillas Girls surgiu em 1985 logo após uma grande retrospectiva produzida por um proeminente museu estadunidense composta por mais de 160 artistas dos quais apenas 13 eram mulheres! Veja bem, 36 anos depois ainda estamos batendo na mesma tecla!!! Somos mais de 50% da população mundial e precisamos estar devidamente representadas! As artistas quando se apresentam publicamente usam máscaras de gorilas e se apropriam de nome de artistas renomadas já falecidas como Frida Kahlo e Kathe Kollwitz para usar como pseudônimos.


As Guerrillas Girls fazem parte do acervo do MASP com uma de suas obras mais icônicas adaptadas para o contexto brasileiro: As mulheres precisam estar nuas para entrar no Museu de Arte de São Paulo?"



Abaixo a versão original produzida para o Metropolitan Museum.



Os números apresentados são bem claros, a mulher é muito mais objeto da arte do que sujeito dela no circuito de museus. Seja no Brasil, no EUA ou na Europa, os museus são dominados por homens, brancos e de origem europeia ou estadunidense. Aliás, surpreendentemente, a estatística do MASP é melhor que a do Met... Alguém arrisca uma análise do porquê?


um abraço e até o próximo post!


Carol

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo